Arquivo para junho \11\UTC 2015

Mudanças que comprovam a evolução

A constatação de que os seres humanos são mutáveis ao longo dos anos é tão obvia que chega a ser banal. Contato com novas pessoas, novas culturas, novas situações, tudo que é novidade serve para moldar esse novo alguém que vai surgindo com o tempo. Porém, nessa panela onde essa nova criatura está se formando, também estão as outras pessoas que conviviam com o antigo ser, e que igualmente estão passando por mudanças. Como então laços que aproximavam essas pessoas, que tornavam as relações sólidas, possíveis, indestrutíveis, podem continuar existindo e resistindo a tudo isso?

Talvez esse seja apenas um dos exemplos que comprovam a capacidade de adaptação dos humanos, onde diferenças são superadas em prol de algo maior, ou, ao menos, um exemplo de que somos seres tão apegados ao que já conhecemos que não queremos abrir mão do que algum dia já foi prazeroso, mas hoje pode ser chamado no máximo de melancolia.

Ambas as ideias, mesmo que antagônicas podem estar corretas. Durante a vida, com trabalho, estudo, viagens, casamento, filhos, nos tornamos pessoas diferentes. Mas a essência continua a mesma dirão alguns, será? Se eu não uso as mesmas roupas, não escuto as mesmas músicas, não frequento os mesmos lugares, não como as mesmas comidas, etc. Como podemos definir essa essência? Não digo que seja impossível, apenas extremamente complicado. E acredito não ser essa essência subjetiva que faça as pessoas continuarem convivendo juntas ou não, mas sim se temos êxito em elevar o nosso próximo conforme formos nos elevando, ou, em um cenário mais deprimente não permitamos que as pessoas ao nosso redor cresçam, mantendo – as ao nosso lado em um patamar inferior.

Nesse ciclo constante que é a luta por evoluir, ajudar, conhecer novas pessoas e recomeçar, que se dará nossa história, isso irá determinar o amigo que é pra vida toda e o que ficou pelo caminho, o casamento eterno ou o divórcio inevitável, se a relação pais e filhos pode realmente ser chamada de relação ou tornou – se mera demonstração para sociedade.

Claro que existem exceções, existem os abnegados que passam toda a vida tentando elevar quem não quer ser elevado, e eles merecem todo consideração, e ainda não imaginem neste texto uma conotação puramente religiosa, da nossa evolução como seres humanos não será definido apenas quem estará ao nosso lado, mas se ainda existiremos, em qualquer lado.