Archive for the ‘ Amor ’ Category

Paixões enlouquecedoras

Acredito ter sido extremamente redundante no título acima, afinal, toda paixão é enlouquecedora. Imaginei que estaria curado desta doença, afinal de contas já fui contaminado muitas vezes e em todas elas me curei, logo imaginei possuir anticorpos suficientes para não ser mais uma vez infectado. O problema que este tipo de “mazela não tem cura e nem diferencia vivência ou experiência e muito menos idade.

Meu amor atual tem lábios lindos, na forma de coração, olhos vivos e brilhantes, uma inteligência acima da média, características que por si só já fariam qualquer um “cair de quatro” e comigo não foi o contrário.

Chego a imaginar embarcar, pois a saudade me dilacera diariamente, e se não fosse esse meu único sustento, até para dar a ela roupas, sapatos, festas, etc. Certamente já estaria buscando uma maneira de estar sempre ao seu lado, compartilhando todos os seus momentos.

O complicado é que ela me agride, várias vezes sou obrigado a aceitar determinadas atitudes, sem poder revidar. Ela também é geniosa, determina o que quer e fica furiosa quando não atendida de imediato.

Para compensar é muito “carinhosa” quando tem vontade, posso desfrutar dos seus abraços e beijos por horas sem que fique sobrecarregado.

Enfim, estou amando, e acredito que este amor, que é muito maior que eu, possa durar para sempre, ou, ao menos, até o dia que eu desencarnar, pois caso ela desencarne primeiro não suportarei.

Esta mulher tem um nome lindo, que harmoniza perfeitamente com sua beleza arrebatadora, Letícia (que significa alegria) me tornou uma pessoa que vive por ela, tentando proporcionar o melhor do melhor dentro das minhas possibilidades.

Revelada minha fragilidade, devo confessar que esta “mulher” possui apenas 1 ano e 3 meses, e, por acaso, me chama de papai, assim como, para não ser formal com minha filha, a chamo de meu pacotinho. Amor é bom, mas a saudade causada por ele é quase insuportável.